Certo dia nós estávamos conversando na cozinha da agência, durante o café da tarde. Relembramos um pouco da infância, falando sobre os Tazzos, Ursinhos da Parmalat, Pokemóns que o Guaraná Antártica oferecia e fomos até mais além: O chocolate Surpresa que trazia diversas curiosidades sobre o mundo animal.
Ah, e claro: Citamos uma por uma das coleções do Kinder Ovo.

Quem tinha a coleção dos hipopótamos? E das tartaruguinhas?
E os brindes sempre criativos da Coca-Cola? Os itens que eram quase que obrigatórios em uma visita ao Mc Donalds? Que nostalgia incrível!


Esses tipos de brindes, além de reforçarem o nome de uma marca no mercado, faziam a alegria da criançada e tornavam-se uma febre.

E onde foi parar tudo isso? Por que tudo que era tão bom, acabou de repente? Sim, nosso bate papo de fim de tarde, rendeu um assunto interessantíssimo para o blog! Na véspera do Dia das Crianças, vamos bater um papo sobre esse assunto e relembrar os momentos da infância? Fique aqui com a gente!


Eu ainda me lembro da loucura que era juntar os selos/tampinhas para trocar por algum item que era sensação do momento. “Os bichinhos da marca X” “Os chaveirinhos da empresa Y”…Uma estratégia impecável para consolidar a marca de determinada empresa no mercado.

Dava até gosto de ver!

Hoje não vemos mais nada disso e se alguma empresa lança uma novidade, parece que o público não adere como antigamente.

A verdade é que está cada vez mais difícil chamar a atenção dos consumidores, que estão o tempo todo colados na tela do dispositivo
móvel (Tablets, Notebooks, Celulares…). E além disso, a crise acabou retraindo toda e qualquer estratégia que as empresas possam ter pensado afinal, “enxugar” o orçamento é necessário para manter tudo funcionando.


Muitas pessoas, comentam que seria interessante o retorno de algumas ações como essas mas as empresas, acabam tendo um certo receio do relançamento devido ao posicionamento dos consumidores, ter mudado com o passar do tempo.

Você costuma comprar leite de outra marca porém, em uma conversa como tivemos aqui na empresa, acaba falando:

“Nossa, eu tinha todos os ursinhos da PARMALAT!

Mesmo que você não consuma a marca, ela conseguiu, com essa estratégia, consolidar o nome no mercado e atingir um público que não atingiria fazendo apenas as divulgações padrão de Marketing e Publicidade!

Sabemos que uma campanha como esta, gera alto custo para as empresas porém, o retorno vem em proporções absurdamente grandes e positivas.

Em um cenário onde empresas estão retraídas, devido a incerteza de colocar uma campanha de alto investimento para rodar em um mercado que muda o tempo todo, aquelas que tem coragem e se arriscam, acabam se destacando!

A última estratégia que lembramos aqui que deu super certo, foi a do Álbum da Copa do Mundo de 2018, onde notamos até stands em Shoppings com pontos para troca de figurinhas. Foi uma experiência muito interessante e que mostrou nitidamente, que as empresas não precisam ter medo de lançar algo novo no mercado afinal, os consumidores sentem falta disso! Aqui podemos citar desde os brindes como os da nossa infância, até os calendários e objetos que recebíamos no Natal, dos fornecedores e empresas que temos contato. A aproximação é importante porque fideliza! Apenas vender, afasta!


Consumidores sentem falta das aproximações entre cliente X empresa e por isso, está cada vez mais difícil vender.

Os consumidores, mesmo pagando por aquele item ao juntar os selos e determinado valor, entendem que a marca se importou em lançar algo diferente, tirando todos da rotina e isso é muito valorizado!

Então, concluímos que: CONSUMIDORES NÃO COMPRAM PELO PREÇO, MAS PELA EXPERIÊNCIA!


Este assunto dá um debate muito bacana, inclusive ficamos bons minutos conversando a respeito e por isso, gostaríamos de ouvir sua opinião também.

Qual brinde marcou sua infância? O que você acha que falta para as marcas criarem coragem e lançarem produtos desse tipo?

Conte para nós nos comentários! 🙂