Atualmente, o quanto as redes sociais influenciam a sua vida?

Aproveitando o Dia do Psicólogo, comemorado no dia 27 de agosto aqui no Brasil, reunimos diversos casos de artistas, influenciadores, ativistas e outras pessoas que estão fazendo um ótimo papel neste processo psicológico inovador de autoaceitação.

Acredite: Elas podem ser grandes aliadas quando buscamos bons exemplos de empoderamento, pertencimento e encorajamento!

Vem saber mais sobre esse assunto. É só seguir com a leitura!

O fato de que as redes sociais podem trazer sérias consequências com o seu uso desenfreado, já não é novidade. Elas se relacionam com a intensa comparação de estilos de vida “perfeitos” e a criação de padrões estéticos e comportamentais.

Porém, existe uma luz no fim do túnel… Ou melhor, no início do feed! Felizmente, muitas pessoas vêm utilizando essas ferramentas para apresentar uma nova forma de se relacionar com a falta de representatividade, que está em todos os lugares.

Ver essa foto no Instagram

Mood. How u doin?

Uma publicação compartilhada por Lizzo (@lizzobeeating) em

Lizzo

A cantora norte-americana, de 32 anos, já fazia muito sucesso na diversidade musical, porém cada vez mais se relaciona com lutas que contestam a falta de igualdade. Entre elas, são citados combates sobre gênero, racismo, sororidade feminina e otimismo em inúmeras lutas contra o preconceito.

Sendo o empoderamento o tema central do trabalho da artista, a Lizzo deixa claro nas redes sociais sobre sua jornada rumo à autoaceitação e confiança! Musicas como Fitness e Juice transmitem uma mensagem ao padrão de beleza hegemônico, que idealiza o simbolismo sexual de mulheres brancas, magras e jovens.

Ver essa foto no Instagram

Como vocês sabem esse sempre foi meu perfil pessoal, e quando comecei a falar sobre meu transtorno alimentar e sobre tudo que ia descobrindo durante o tratamento, o perfil cresceu muito (sinal inquestionável de como realmente precisamos falar sobre tudo isso). E apesar de eu amar compartilhar esse processo com vocês, esse ano fui percebendo que na ânsia de “merecer” essa audiência e carinho eu comecei a me desrespeitar, indo além do meu limite emocional muitas vezes para estar presente, produzir e corresponder às expectativas de milhares de pessoas. Esses dois meses longe me ajudaram a acalmar a mente, olhar para mim mesma com carinho outra vez e lembrar que é preciso respeitar os momentos em que não tenho energia/força/estabilidade para me doar, ou até mesmo os momentos em que simplesmente não tenho nada a dizer. Vocês sempre me perguntam como é isso de se amar, e hoje, mais do que nunca, eu tenho uma dica muito clara e valiosa: comece por dentro. Procure ajuda profissional para investigar e enfrentar seus próprios sentimentos em voz alta, se conheça, entenda como a sua história te transformou na pessoa que você é hoje, perdoe o fato de não ser perfeita e não dar conta de tudo, entenda quais cobranças são externas e não têm nada a ver com o que realmente te faria feliz. E eu te prometo que quando você entrar de cabeça nesse processo, vai entender que amar o seu corpo é só uma parte, até bem pequena, dessa revolução poderosa que é aprender a amar a história inteira de quem você é 💜🌞 #projetovidão . .

Uma publicação compartilhada por Mirian Bottan (@mbottan) em

Mirian Bottan

A criadora do #projetovidão, usa suas redes para falar sobre distúrbios alimentares e o relacionamento com o corpo. Em seus posts ela conta como sofreu nas mãos dos padrões estáticos e da doutrinação de um corpo perfeito. Desde os 5 anos de idade participando de concursos de beleza, até o ponto de desenvolver compulsão e transtornos com a alimentação, corpo e mente.

Hoje, a influencer produz conteúdos que descontroem os padrões midiáticos para mais de 600 mil seguidores. Suas histórias de vida nos fazem refletir (muito) sobre o impacto das dietas loucas em nosso cotidiano.

Spartakus

O publicitário desde muito jovem estudou filosofia e gostava de discutir com amigos sobre meritocracia, ideologia de gênero, racismo, entre outros temas. Por ser um jovem negro e gay nascido na Bahia, se sentia pouco representado e resolver divulgar suas opiniões e os famosos “textões” nas redes sociais.

Seus conteúdos viralizaram e atualmente ele atua como youtuber, apresentador, palestrante e colunista do GNT e @midianinja. Spartakus fala sobre questões de autoconfiança, relacionamento, colorismo, homofobia, etc.

Isabella Trad/Bells

A modelo mais conhecida como Bells é influenciadora, youtuber e um dos principais nomes brasileiros do movimento de body positive! Traduzindo, o movimento positividade do corpo busca fazer com que todos se sintam bem em seus corpos, do jeito que eles são!

Sendo modelo, ela também participa de inúmeros ensaios que celebram a autoestima de mulheres gordas. Sua pauta sempre inclui discussões sobre a necessidade de naturalizar os corpos considerados fora dos padrões, na arte e nas redes sociais. Incrível, não é?

Dica importante: Para quem está no processo de autoaceitação, não deixe de buscar o acompanhamento do um psicólogo. Essa é uma questão muito importante! Procure as redes sociais como inspiração e não projete a vida somente nelas.

E aí, o que acha desse processo de autoaceitação, por meio das redes sociais? Conta para gente! E se gostou, não deixe de compartilhar!